Primeiro dia - O CRISTÃO VERDADEIRO 

Se alguém deseja ser um cristão verdadeiro não deve gostar do comodismo. Um certo bem-estar não é condenável, principalmente nos casos de pouca saúde ou quando exigido pelas circunstâncias da vida. Mas o que a vida cristã não admite é a procura exagerada do conforto numa existência esplendorosa, utilizando o dinheiro só para luxos e prazeres.Podemos desfrutar de alguma comodidade quando temos posse para isso. Ter bens não é contra o Evangelho. A virtude ou o pecado está em saber ou não usá-los.Se Deus nos favoreceu com bens terrenos, vamos usá-los para o nosso bem e para o bem do próximo, nosso irmão.Não permitamos que, por causa do dinheiro, nosso coração fique fechado às necessidades do outro.Este era o procedimento de Santa Edwiges. Era rica em posses, mas tinha o coração livre e desapegado.

 

Segundo dia – SABER SOFRER

Quando alguém é atingindo na sua saúde por alguma doença, passa a lamentar-se. No entanto, seria conveniente pensar que em vez de saúde se podia perder a vida.Sendo assim, todas as vezes que nos vier alguma doença, em vez de estarmos a reclamar contra tudo e contra todos, abandonemo-nos inteiramente à vontade de Deus.Quando se deixa a Providência agir conosco, nunca seremos dominados pela inquietação, pelo desgosto ou pelo desânimo.Convém não esquecer que não há somente males no corpo, há também os males da alma, por exemplo, o pecado que devemos sempre evitar.Santa Edwiges foi muito provada por Deus durante sua vida. Não reclamava, mas apenas dizia: “Em tuas mãos, Senhor ...”.

 

Terceiro dia – SORRIR SEMPRE

O bom filho da Igreja não tem motivos para andar de cara amarrada. Por isso será muito benéfica a resolução de sorrir sempre.Sorrir para Deus, sorrir para o próximo, sorrir para si mesmo.O amigo que nos ajuda, o transeunte que nos cumprimenta, o sorriso de uma criança, a flor do jardim, o marulhar das ondas, o sol a brilhar, a lua que nos encanta, as estrelas que brilham ... tudo isso é motivo de alegria para o nosso coração.Se somos jovens, alegremo-nos pela mocidade que possuímos.Se já somos de idade madura, exultemos pelos dias que já vivemos.Se já chegamos à velhice, aprendamos que a coisa mais bela é saber envelhecer... .Assim era Santa Edwiges. Um sorriso para todos que a cercavam.

 

Quarto dia – SEMPRE DAR, NUNCA RECUSAR

Não devemos nunca perder as ocasiões que Deus nos oferece para que façamos alguma coisa por nosso irmão.Deus reclama de nós manter sempre vivo no interior do coração um desejo ardente de sempre dar e nunca recusar.Se assim procedermos, Deus estará sempre pronto a nos favorecer.Se o nosso coração estiver sempre aberto para dar, podemos esperar de Deus a retribuição.Mas precisamos dar sem egoísmo, sem esperar nada em troca. Dar com alegria e não com constrangimento.A recompensa talvez não venha agora, mas depois será certa.Outro não era o proceder da Santa Edwiges. Dia e noite fazendo o bem, confiando apenas em Deus.

 

Quinto dia – SABER FALAR E SABER CALAR

Diz o Apóstolo São Tiago que o homem perfeito é aquele que não peca pela língua. Realmente, quantas pessoas não matam sua alma somente porque não sabem controlar a língua?!Nosso Senhor dizia que não é pecado o que entra pela boca, mas o que sai do coração. O nome alheio nos deve ser tão caro quanto o nosso. Não devemos divulgar o que os outros não tem o direito de saber. Quantas vezes o silêncio em torno de certos assuntos nos livra a nós a aos outros de situações embaraçosas... .A língua é uma arma de dois gumes: é perigosa e traiçoeira... .Na maioria das vezes é melhor calar do que falar.Não se nega com isso que não haja momentos em que podemos e devemos falar. Mas o cuidado no falar deve ser sempre muito grande porque facilmente cometemos excessos e exageros.Esta foi a vida de Santa Edwiges: a tudo e a todos ouvia e guardava todas as coisas no coração....

 

Sexto dia – CONFIANÇA EM DEUS

Quantas pessoas ficam atemorizadas e cheias de pavor até o ponto de perderem a confiança em Deus, ao verem os inimigos da Fé ameaçarem de morte a Igreja de Cristo!Os que assim procedem começam por esquecer as palavras de Jesus sobre o tratamento dado a ele próprio: “Se tratam assim o madeiro verde, que farão com o seco?”Depois convém lembrar que Jesus faz das perseguições uma bem-aventurança. Também é palavra dele: “Bem aventurados os que são perseguidos por amor da justiça!”Se Deus permite as perseguições à Igreja, também dá a força e a graça para que a Igreja seja vitoriosa.“As portas do inferno não prevalecerão...”.Santa Edwiges tinha esta confiança em Deus: total, absoluta.

 

Sétimo dia – SABER LUTAR

Na luta, não devemos fazer questão de vencer, mas de lutar. Bater-se com denodo é nosso dever, enquanto a vitória pertence a Deus. Na vida espiritual muitas pessoas só pensam no triunfo e no sucesso, sem ligar muita importância aos embates que é preciso enfrentar para atingir o fim desejado. Gostam de encontrar o prato pronto, como se diz. Outros acham que, por já haverem conquistado um certo sossego espiritual, não necessitam mais estar alertas. São pessoas que, só fazem certas práticas espirituais, pensam estar salvas e livres de qualquer perigo. Coitadas, nem pensam que o inimigo não dorme... .A palavra de Cristo continua válida: “Estai vigilantes...”.Outra coisa não fazia Santa Edwiges. Dia e noite em vigílias constantes, permanecia sempre atenta às investidas do mal.

 

Oitavo dia – AS PEQUENINAS COISAS

O verdadeiro caminho da santidade consiste em fazer sempre com amor as pequenas coisas de que está cheia a nossa vida.Um alfinete apanhado do chão com amor, pode salvar uma alma... .Assim, animadas pelo amor, essas pequenas coisas se transformarão em um grande ramalhete do qual Deus tirará a sua glória.A nossa dificuldade está em não sabermos aproveitar as ocasiões que se apresentam diante de nós. Julgamos que só os grandes feitos, os sacrifícios custosos, os grandes sofrimentos é que nos levam à perfeição.Nada mais errado. Os pequenos momentos de cada dia é que são os degraus que nos levam seguramente a Deus.“Se não vos tornardes como crianças, não entrareis no reino dos céus”, assim falou o Mestre.Santa Edwiges assim procedeu. Não deixava passar nenhuma oportunidade de santificar o seu coração.

 

Nono dia – SALVAR A PRÓPRIA ALMA

Muitas pessoas, inteiramente dominadas pelo desejo de fazer o bem aos outros, chegam a negligenciar os próprios interesses espirituais.O primeiro cuidado do cristão deve ser salvar sua alma.Nosso Senhor disse que de nada valeria ao homem conquistar o mundo inteiro se não conseguisse salvar sua alma.A caridade bem ordenada começa por si mesmo.Para converter outras almas é indispensável que nos tenhamos convertido a nós mesmos. Ninguém dá o que não possui.De que adianta querermos tirar um argueiro do olho de nosso irmão, se temos uma trave em nossos próprios olhos?Os antigos já diziam: “Médico, cura-te a ti mesmo...”.Fazer o bem aos outros é uma coisa muito bonita, mas sem prejuízo da nossa própria santificação.Também neste ponto Santa Edwiges é nosso modelo. Cuidava dos outros, mas sem descuidar-se de si própria.

 

 

NEWSLETTER

Assine nossa newsletter e receba
informações da nossa comunidade.

Fale Conosco

ERua Fonseca Teles, 109 
São Cristovão
Rio De Janeiro - RJ
    CEP 20940-200

T21 2580-6992