Apostila Festa Santa Edwiges 2018

 

SANTUÁRIO SANTA EDWIGES

ESTIGMATINOS PAIS

FESTA DE SANTA EDWIGES

   

PROGRAMAÇÃO DA FESTA

 

OUTUBRO DE 2018

 

ÍNDICE

Indice 1 Apostila

Indice 2 Apostila

 

APRESENTAÇÃO

“Santa Edwiges, socorrei-nos em nossas necessidades!”

Prezados (as) Paroquianos (as)

Aproximando-nos da festa patronal de Santa Edwiges, a ser celebrada de 7 a 16 de outubro do corrente ano, quero me dirigir a cada um de vocês que respondendo ao chamado de Deus, não medem esforços, para que na oblação e vivência da vocação laical, estão sempre a serviço do Evangelho e da vida iluminando a comunidade eclesial, a família, a sociedade e a cultura, como sujeito da salvação de todos os povos,  promovendo a dignidade humana, por meio do carisma e ministério próprio de cada um: “Vós Sois o Sal da Terra e Luz do Mundo”. (Mt 5, 13-14).

Na rotina paroquial, cada leigo (a) consegue visualizar um aspecto ou um ângulo da vida em comunidade, em sociedade e pessoal onde pode ser aprofundado de forma mais elaborada a partir da celebração de uma novena, tendo como exemplo, o Cristo servidor: “o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgaste por uma multidão” (Mt 20, 28);  bem como a vida de Santa Edwiges, cuja vida foi marcada pela  fé, oração e serviço, encontramos a luz e força necessária para esta missão que é a celebração da novena e festa da nossa padroeira.

  • Santa Edwiges, uma mulher de profunda vida de oração.

Edwiges foi uma mulher de muita oração. Viveu em profunda intimidade com o Senhor. Emendava o dia à noite a rezar, sempre de joelhos e nos lábios, fervorosas preces ao seu Deus.

Submetia-se ao sacrifício de jejuns diários, limitando-se a comer apenas o necessário para atender as necessidades do corpo. Sentada à mesa para suas parcas refeições, pedia que as Sagradas Escrituras fossem lidas antes de começar a comer. Queria que enquanto o corpo se alimentasse com o alimento material, o espírito se refizesse com o alimento da palavra divina. Tão atraída sentia-se pelas palavras da Bíblia que até se esquecia de levar o alimento à boca e até mesmo de mastigá-lo.

Assim, essa piedosa mulher, bendizia a Deus em todo tempo e seu louvor estava sempre em sua boca.

  • Santa Edwiges, mulher de profunda humildade.

A humildade é uma virtude que o próprio Filho de Deus ensinou e praticou. Sendo Filho de Deus, Jesus fez-se homem, encarnando-se no seio de Maria. Em tudo semelhante ao homem, viveu uma vida humilde e oculta, sendo conhecido apenas como o filho do carpinteiro. Durante sua vida aqui neste mundo, podia dizer: “Aprendei de mim porque sou manso e humilde de coração”.

Edwiges procurou imitar a humildade de Cristo. Mesmo seu exterior revelava a humildade de seu coração. Desde a juventude não usava nada que transpirasse vaidade. Jamais se vestia de púrpura ou seda. Nada que denotasse riqueza ou esplendor lhe ia bem.

Mas isso não quer dizer que fosse uma desleixada. Apresentava-se como digna duquesa, mas na sobriedade de uma alma devotada a Deus. Sobre a cabeça nada de coroa, véus luxuosos; no pescoço ou peito jamais ricos colares, nem seus dedos eram ornados com preciosos anéis. Qualquer sinal de vanglória ou ostentação, essa mulher singular afastava de si desde sua juventude.

Tudo isso quanto ao exterior. Mas também tudo isso era o reflexo da humildade de seu interior.

  • Santa Edwiges, mulher de profundo amor aos pobres.

Os pobres seguiam Santa Edwiges por onde quer que ela fosse. Não a deixavam sozinha nas igrejas. Por isso, quando para lá se dirigia, sempre tinha consigo uma boa soma de dinheiro que era distribuído aos pobres que lhe pediam. Alguns de seus familiares, que a acompanhavam não viam isso com bons olhos. Repeliam os pobres que procuravam sempre se aproximar dela na certeza de receberem alguma esmola. Edwiges censurava seus fâmulos que assim a impediam de ser misericordiosa com esses pobres coitados.

Nesta via, da oração e da humildade, os cristãos leigos devem ser sujeitos eclesial e histórico no mundo, enfrentando os desafios, as angústias, as alegrias e as esperanças. Colocando em prática a fé cristã, contribuindo para que todos superem as dificuldades, seguros da copiosa benção de Deus e intercessão de Santa Edwiges.

Neste caminho de humildade e fé, temos diante de nós a missão de mais vez, celebrar com o povo, os festejos de uma leiga que se santificou e fez a diferença em seu tempo, percorrendo a estrada do amor e do serviço, deixando marcas do evangelho a todos que a procuravam.  A seguir de forma ampla, apresentamos o desenho da novena e festa.

  1. Dimensão religiosa:
    • Tema: “Santa Edwiges, socorrei-nos em nossas necessidades.”
    • Período: 07 a 16 de outubro de 2018.
    • A Eucaristia é o memorial da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor, ponto alto da celebração da novena, momento que deve envolver todas as pastorais e movimentos.

A Eucaristia é verdadeiro banquete, onde Cristo se oferece como alimento. Não se trata de um alimento em sentido metafórico, mas “a minha carne é, em verdade uma comida, e o meu alimento é, em verdade, uma bebida”. (Jo 6,55).

1.4. Momento Mariano – reza do terço, todo dia às 18h, por cada pastoral e movimento do dia, sob a coordenação da Dra. Lila e Paixão.

1.5. Procissão luminosa no primeiro domingo que segue a festa, após Santa Missa.

1.6. No dia 16: missa a cada hora.

1.7. Benção dos motoristas e veículos ao término da missa das 10h30 – Bênçãos dos féis no hall.

Outros serviços e sacramentais igualmente sublinham esta dimensão: pregações, bênçãos, confissões e coreografias.

2- Dimensão social e festiva:

2.1. 07 a 14 – confraternização no hall – praça da alimentação. Ao término da celebração.

2.2. Almoço familiar de Nossa Senhora Aparecida no dia 12 de outubro – apresentação do projeto social do Santuário.

2.3. Dia 16 – almoço festivo no salão paroquial, coordenado pela Lourdes e sua Equipe.

2.4. No salão paroquial após o almoço – Serviço completo de lanchonete.

3- Dimensão pública:

3.1. Comunicação e divulgação em todas as mídias sociais.

3.2. Cartazes, faixas e folders nos murais dos condomínios, de escolas e ônibus, bem como o carro de som na rua.

3.3. Ofícios para os órgãos constituídos (policiais, corpo de bombeiros, guarda municipal...).

Finalizo, recordando que a  festa e novena da padroeira não é apenas uma data marcada no calendário paroquial, mas é, acima de tudo, o reconhecimento e gratidão a Deus, nosso Senhor, por tudo aquilo que Ele realizou em Santa Edwiges no decorrer de sua vida  e pela continuidade e propagação da fé e devoção, seguindo a exemplaridade dessa leiga: esposa, mãe, duquesa, missionária, serva, e santa - dona de uma fé inabalável e um coração solidário. A celebração do novenário de Santa Edwiges, nos leve a assumir o compromisso de deixar-nos cativar e reencontrar por Cristo Jesus Nosso Senhor e anunciá-lo aos devotos e aos irmãos e irmãs que se encontram esquecidos nas periferias, da grande cidade, tendo em vista uma Igreja em saída. (Papa Francisco).

Fraternalmente,

Pe. José Ailton Teodoro, CSS

Pároco

 

OBJETIVOS DA FESTA

Celebrando a Festa de Santa Edwiges, desejamos:

  1. Oferecer aos devotos de Santa Edwiges, discípula fiel de Jesus, um tempo festivo muito oportuno para manifestar gratidão pelas graças alcançadas através de sua intercessão.
  2. Além de admirar Santa Edwiges, mulher sensível e solidária, queremos reconhecer o quanto seu testemunho continua sendo atual e um forte apelo para sermos mais fraternos, solícitos e solidários.
  3. Inspirados no pedido de Jesus: “Felizes os que promovem a paz”, que nossa festa promova laços de paz tecidos pela gentileza, pela cortesia, ternura e acolhida sincera/calorosa que aproxima corações.
  4. Que os devotos de Santa Edwiges, mulher atenta à Palavra de Deus, sejam também iluminados pelas proclamações da palavra e a coloquem em prática, sobretudo por uma vida de real caridade.
  5. Despertar os corações para a generosidade, como foi generoso o coração de Jesus, onde Edwiges generosa e eucarística, se nutriu para ser irmã dos humildes, auxiliadora das viúvas e dos órfãos.
  6. Que seja muito oportuna para as pastorais, movimentos, funcionários e frequentadores do Santuário se confraternizarem inspirados na oração de Jesus: “Pai, que eles sejam um, como nós somos um!”
  7. Queremos uma festa que desperte e fortaleça a confiança, como a atitude de profunda confiança do centurião, tão enaltecida por Jesus: “Senhor, dize uma só palavra e meu empregado ficará curado!”
  8. Sensibilizar para que cresça o zelo, o cuidado para com a manutenção do Santuário Santa Edwiges, sobretudo a partilha como consciente expressão do verdadeiro espírito de colaboração.
  9. Que seja inspirada e conduzida pelo Espírito Santo para favorecer a perseverança de todos nós, a exemplo dos primeiros cristãos: Eram perseverantes em ouvir os ensinamentos dos apóstolos (At 2,42).
  10. Que a Mesa do Altar seja o lugar central da festa, onde os convidados, após depositarem o pão e o vinho, possam se alimentar de Jesus Eucarístico e sejam transformados pela força do seu amor.

 

ORIENTAÇÕES PRÁTICAS AOS

COORDENADORES DA FESTA

O que significa a palavra Coordenador (a): Que ou quem coordena, indivíduo incumbido de orientar, harmonizar, coordenar os trabalhos de um grupo.

  1. Cada Coordenador (a) deve montar sua Equipe, para não ficar cansativo.
  2. Os coordenadores dos diversos setores sociais e religiosos devem prevê no seu campo de atuação o que precisa para desenvolver e organizar o seu compromisso na festa.
  3. O papel do (a) Coordenador (a) é o de despertar lideranças, envolver as pessoas sempre num Espírito Cristão, dar espaço para as pessoas e acompanhar de perto os serviços.
  4. Estar atentos para que após a Santa Missa de 6h até 20h no dia 16 de outubro de 2018, as barracas estejam preparadas para atender os fiéis.
  5. Coordenação Geral da Festa:
  • José Ailton, Fernanda Leiras, Roberto, Aloysio, Regininha, Betinha, Margareth, Helenice, Leila Maria, Graça, Mário, Manoel, Marcão, RCC, José Almeida, Érico, Laurentina, Elza, Inácio, Rose, Angelim, Jovita, Lourdes Leiras, Márcia, Vera, Lourdes, Jeane, Rafaela, Adriano, Martinho, Jacqueline, Lila e Valéria.

 

RELAÇÃO DE COORDENADORES

 

Coorden. FSSE 2018 01

Coorden. FSSE 2018 02

Coorden. FSSE 2018 03

Coorden. FSSE 2018 04

 

DIMENSÃO RELIGIOSA

O Ano do Laicato

             Sabendo da importância do leigo para a Igreja, celebraremos no Brasil, no período de 26 de novembro de 2017 à 25 de novembro de 2018, o “Ano do Laicato”.  O tema escolhido para animar a mística do Ano do Laicato foi: “Cristãos leigos e leigas, sujeitos na ‘Igreja em saída’, a serviço do Reino” e o lema: “Sal da Terra e Luz do Mundo”. (Mt 5, 13-14).

            Os leigos são aqueles que foram incorporados a Cristo pelo Batismo, que formam o Povo de Deus, mas não fazem parte da hierarquia da Igreja.

           O papel dos leigos na Igreja é ser testemunho do Cristo ressuscitado onde moram, vivem e trabalham. Através do batismo, os leigos tornam-se membros efetivos no corpo da Igreja, onde Cristo é a cabeça. É dever de cada batizado conhecer Jesus Cristo, viver seus sentimentos de amor e ajudar os mais necessitados a serem felizes e a todos se santificarem para a glória de Deus.

            Dentro da comunidade eclesial os leigos são chamados a cumprir tarefas, como também os ordenados e consagrados. Cada um com sua missão, com direito de agir, testemunhar e animar a sociedade e a Igreja. Os diversos ministérios apontam o horizonte onde o leigo deve agir, seja na formação, nos serviços básicos da comunidade de fé, animando a liturgia, a catequese e os serviços eclesiais, círculos bíblicos, grupos de reflexão e outros, bem como o testemunho no serviço aos mais necessitados e carentes.

            Mas há também e, não menos importante, a missão do leigo fora da Igreja, que está na sociedade, onde vive e busca seu sustento. O leigo esquece de exercer suas funções dentro da sociedade, lugar onde vive e trabalha. Por isso, tanta injustiça, tanta corrupção e tanta miséria. É porque os leigos não estão assumindo sua missão na sociedade, na política e na transformação do ambiente onde vivem. Seguir Jesus Cristo, é uma das missões do leigo, que é a de criar condições para a proteção do próprio ser humano também fora da igreja.

            O leigo deve ser testemunha de Cristo aonde o sacerdote não chega. Ele deve levar a luz de Cristo aos ambientes de trevas, de pecado, de injustiça, de violência, enfim, ao mundo de hoje, com suas virtudes e mazelas. Os leigos que forem capazes e que se formarem para isto, podem dar sua colaboração na formação catequética, no ensino das ciências sagradas e atuar nos meios de comunicação social.

            Os leigos são encarregados por Deus do apostolado em virtude do Batismo e da Confirmação. Tem a obrigação e gozam do direito, individualmente ou agrupados em associações, de trabalhar para que a mensagem divina da salvação seja conhecida e recebida por todos os homens e por toda a terra; esta obrigação é ainda mais presente se levarmos em conta que é somente por meio deles que os homens podem ouvir o Evangelho e conhecer a Cristo.

            Os leigos podem também sentir-se chamados ou vir a ser chamados para colaborar com os próprios pastores no serviço da comunidade eclesial, para o crescimento e a vida da mesma, exercendo ministérios bem diversificados, segundo a graça e os carismas que o Senhor quiser depositar neles.

             A Assembleia Geral da CNBB de 2014, trouxe a intenção de aprofundar a missão dos leigos e leigas na Igreja e na sociedade, para quebrar paradigmas e somar forças para encurtar distâncias entre leigos e hierarquia. Juntos devemos compreender que todo o batizado se torna filho da Igreja. Segundo o Papa Francisco: “em virtude do Batismo recebido, os fiéis leigos são protagonistas na obra de evangelização e promoção humana. Incorporado à Igreja, cada membro do Povo de Deus é inseparavelmente discípulo e missionário. É preciso sempre reiniciar dessa raiz comum a todos nós, filhos da Mãe Igreja”.

            Busquemos assumir a nossa missão como filhos e juntos construamos uma Igreja santa, agradável, acolhedora e um mundo justo, fraterno e digno de se morar e viver para a glória de Deus!

             

Fonte Doc. CNBB

 

 

ORIENTAÇÕES LITÚRGICAS

  1. Deve o comentarista num primeiro momento criar um clima de Fé e de Celebração. Pedir silêncio, rezar e levar o povo a rezar. Começar a ler as intenções 5 (cinco) minutos antes do comentário geral (não marcar a intenção da Missa na mesa do comentário – marcar na sacristia).
  2. Dar destaque ao subtema, símbolo e intenção para cada dia - conforme folder.
  3. Sequência da procissão de entrada: a cruz processional, símbolos (Pastoral/Movimento), leitores, ministros e celebrante.

      Obs.: Os Leitores e Comentaristas devem colocar a veste litúrgica na sacristia.

  1. Os Cantores devem chegar 30 (trinta) minutos antes da missa. Devem cantar alguns cânticos de Santa Edwiges. Após a Santa Missa, o Coordenador do grupo deve guardar os instrumentos que foram usados na celebração.
  1. O cântico final será sempre o hino de Santa Edwiges.
  2. Com relação aos cantos: o canto de entrada, canta-se 2 (duas) estrofes, assim como o canto de aclamação; o canto de ofertório deve se prolongar até o pessoal da oferta chegar diante do altar; o canto da comunhão termina quando o povo já comungou. Pode-se cantar um rápido refrão de ação de graças.
  3. O refrão meditativo pode ser relacionado ao Evangelho ou a intenção do dia.
  4. Após o canto da comunhão – dar trinta segundos de silêncio e em seguida canta-se o mantra.
  5. Importante fazer o uso do “Data Show”.
  6. Procure planejar a relação dos cantos e pessoas para ajudá-las no decorrer da celebração.
  7. Pedimos em função de ser novena/festa, que o Salmo Responsorial, seja cantado todos os dias.

Obs.: Os animadores da Celebração, ao terminar os comentários, devem dizer com alegria “iniciemos cantando”.

 

 

O SENTIDO DAS PROCISSÕES

 

Responsabilidade: Padre José Ailton, Mário, Manoel e Marcão.

As procissões fazem parte da comunidade do povo de Deus.

O povo de Deus realizava procissões deserto adentro, na certeza de alcançar a terra prometida.

No novo testamento, Jesus entrou em procissão solene em Jerusalém para realizar sua Páscoa, aclamado pelo povo como Rei. 

A Igreja como continuadora da obra de Cristo na terra, realiza suas procissões na perspectiva de quem caminha para Deus. É neste ambiente que realizamos nossas procissões, tendo Cristo como pastor que vai a nossa frente, abrindo caminhos para que possamos passar.

Nossas procissões devem ser bonitas, organizadas e solenes. As pessoas que participam da liturgia e da procissão, devem ter uma postura orante e estarem vestidas de acordo com as exigências do Ministério a ser celebrado.

Importante:

  1. A pessoa que carrega a cruz processional, antes do início da Santa Missa, fica com a cruz voltada para o povo. Ao ouvir o convite do animador para dar início à celebração com o cântico inicial, deve se posicionar a frente da procissão de entrada com a cruz voltada para o Altar - por meio deste gesto, a Igreja nos ensina que andamos atrás de Cristo. A pessoa que carrega a cruz só inicia a procissão, de forma compassada, quando for feito o convite para iniciar a missa cantando.
  2. As pessoas que participam da procissão de entrada não devem ficar coladas umas nas outras. Devem dar espaço de meio metro e se posicionarem conforme a sua função na liturgia.

Exemplo:

  • Leitores ao lado de Leitores.
  • Ministros ao lado de Ministros e assim por diante.

3- Compete à Equipe: 

3.1- A procissão deve ser aberta pela Cruz Processional e os tocheiros.

3.2- O andor de Santa Edwiges encerra a procissão precedida pelo carro de som.

3.3- O carro de som, a ser usado, será a Kombi de propriedade do Santuário e que deverá ser preparada pela Equipe de sonorização ou a quem estiver autorizado.

3.4- Preparar bem a liturgia da procissão – cantos, leituras, preces, etc.

3.5- A Equipe de ornamentação poderá ajudar durante a preparação e a decoração do andor de Santa Edwiges.

3.6- Ver a possibilidade de soltar fogos durante a procissão.

3.7- Equipe de Música – Angelim e RCC.

PROCISSÃO LUMINOSA – Dia 21 de outubro.

1- Cruz Processional.

2- Imagem.

  • Kombi – carro de som, com os animadores.
  • Durante a procissão: cantos - “Pai Nosso” - “Ave Maria”.
  • Na volta, entrega das rosas de Santa Edwiges.

TRAJETO DA PROCISSÃO LUMINOSA:

Percorrerá as ruas: Fonseca Teles, Mineira, Do Parque, Euclides da Cunha, São Cristóvão, Fonseca Teles, retornando ao Santuário.

Obs.: Neste dia de encerramento da festa, haverá a Santa Missa às 18h30. Em seguida, teremos a Procissão Luminosa.

 

 

ORIENTAÇÕES SOBRE AS CELEBRAÇÕES

DA NOVENA DE SANTA EDWIGES

PROCISSÃO DE ENTRADA:

  1. Incenso (Missa com o Bispo).
  2. Cruz Processional.
  3. Símbolo – Pastoral / Movimento.
  4. Leitores Paramentados.
  5. Ministros da Eucaristia.
  6. Diácono com o Evangeliário.
  7. Celebrante.

CANTOS DURANTE A NOVENA:

  1. Cantos projetados no “Data Show”.
  2. Cantar o Salmo no Ambão.
  3. Canto final de Santa Edwiges.
  4. Cantar “o Glória”.
  5. Após o canto da comunhão, dar 1 (um) minuto de silêncio, em seguida cantar um refrão ligado à liturgia do dia ou a “Oração de São Francisco”, podes reinar, onde reina o amor, toma senhor e recebei...

Obs.:  Refrãos ligados ao Evangelho e ao símbolo do dia.

ENTRADA DA SANTA EDWIGES:

  1. O celebrante fará a motivação para acolher a Santa. Canta-se o Hino de Santa Edwiges.
  2. A entrada da Santa será realizada por coreografias – Membros da Pastorais / Movimentos ajudam nesse momento. (Angelim Baptista e Chris Aguiar).
  3. Na página 8 (oito), o Padre reza a súplica e a oração.
  4. Avisos paroquias.
  5. Bênçãos aos objetos religiosos.
  6. Canto final, hino de Santa Edwiges.

 

LITURGIA, TEMA E SUBTEMA

“Santa Edwiges, socorrei-nos em nossas necessidades!”

 

Dia 7 - Domingo - Abertura.

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Fé.

 

Dia 8 - Segunda-feira

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Solidariedade.

 

Dia 9 - Terça-feira

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Paz.

 

Dia 10 - Quarta-feira

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Generosidade.

 

Dia 11 - Quinta-feira

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Prudência.

 

Dia 12 - Sexta-feira

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Confiança.

 

Dia 13 - Sábado

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Perseverança.

 

Dia 14 - Domingo

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e o Zelo.

 

Dia 15 - Segunda-feira

Liturgia diária

Frase para o dia: Santa Edwiges e a Eucaristia.

 

Dia 16 - DIA DE SANTA EDWIGES - Missas das 6h às 20h.

Liturgia diária

Reza-se o Salmo, omite-se as Preces.

Dia 21 - PROCISSÃO LUMINOSA DE SANTA EDWIGES.

Obs.: As Celebrações Eucarísticas, durante o novenário, acontecerão nos horários normais do Santuário, segunda, terça, quarta, sexta e sábado às 7h30 e 18h30, na quinta-feira às 8h e 18h30 e no domingo às 7h, 8h30, 10h30 e 18h30.  A liturgia da novena será a liturgia diária da Igreja. Recomendamos que nas Missas da manhã, exceto as quintas-feiras e a Missa de domingo às 10h30, seja feita somente a oração de Santa Edwiges.

 

EQUIPE E SUAS RESPONSABILIDADES

Escala de celebrantem

 

Dia 7 - Domingo - Abertura e 1º Dia da Novena

Subtema: Jovens

Escala de Padres dia 7

 

 Dia 8 - Segunda-feira - 2º Dia da Novena

Subtema: Educadores e Aposentados

Escala de Padres dia 8

 

Dia 9 - Terça-feira - 3º Dia da Novena

Subtema: Crianças

Escala de Padres dia 9

 

Dia 10 - Quarta-feira - 4º Dia da Novena

Subtema: Família

Escala de Padres dia 10

 

Dia 11 - Quinta-feira - 5º Dia da Novena

Subtema: Desempregados

Escala de Padres dia 11

 

Dia 12 - Sexta-feira - 6º Dia da Novena

Tema: Profissionais da Saúde

Escala de Padres dia 12

 

Dia 13 - Sábado - 7º Dia da Novena

Subtema: Lojistas

Escala de Padres dia 13

 

Dia 14 - Domingo - 8º Dia da Novena

Subtema: Devotos e Benfeitores

Escala de Padres dia 14

 

Dia 15 - Segunda-feira - 9º Dia da Novena

Tópico: Voluntariado

Escala de Padres dia 15

 

Obs.:

  • No dia 14/10, após a Santa Missa das 10h30, haverá a benção dos veículos, na porta do Santuário. Os veículos devem dar a volta subindo a rua Mineira até o Santuário para a benção.

 

  •  O que preparar? Balde com água, borrifadores, etc.

 

DIA DE SANTA EDWIGES

DIA 16 - TERÇA- FEIRA

FESTA DE SANTA EDWIGES

 

TEMA

“Santa Edwiges, socorrei-nos em nossas necessidades!”

Escala de Padres dia 16

Obs.: O Pe. José Ailton se esforçará para comunicar os avisos paroquiais. Caso não apareça, contamos com sua colaboração.

 

 

PROCISSÃO LUMINOSA DE SANTA EDWIGES

Dia 21 - DOMINGO - MISSA E PROCISSÃO

 

 TEMA

“Santa Edwiges, socorrei-nos em nossas necessidades!”

Escala de Padres dia 21

 Obs.: Procissão com andor de Santa Edwiges devidamente ornamentado e orientações conforme o folder da festa.

 

ESCALA DE COMENTARISTAS, MINISTROS E CANTORES

Dia 07 - Domingo - 1º Dia da Novena e Abertura da Novena

Tema: Jovens

Escala de Comentaristas e Cantores dia 7

 

Dia 08 - Segunda-feira - 2º Dia da Novena

Tema: Educadores e Aposentados

Escala de Comentaristas e Cantores dia 8

 

Dia 09 - Terça-feira - 3º Dia da Novena

Tema: Crianças

Escala de Comentaristas e Cantores dia 9

 

Dia 10 - Quarta-feira - 4º Dia da Novena

Tema: Família

Escala de Comentaristas e Cantores dia 10

 

Dia 11 - Quinta-feira - 5º Dia da Novena

Tema: Desempregados

Escala de Comentaristas e Cantores dia 11

 

Dia 12 - Sexta-feira - 6º Dia da Novena

Tema: Profissionais da Saúde

Escala de Comentaristas e Cantores dia 12

 

Dia 13 – Sábado - 7º Dia da Novena

Tema: Lojistas

Escala de Comentaristas e Cantores dia 13

 

Dia 14 – Domingo - 8º Dia da Novena

Tema: Devotos e Benfeitores

Escala de Comentaristas e Cantores dia 14

 

Dia 15 - Segunda-feira - 9º Dia da Novena

Tópico: Voluntariado

Escala de Comentaristas e Cantores dia 15

Obs.: O Comentarista das Missas, sejam dominicais, festivas ou durante a semana, devem montar o seu grupo de Leitores. Desta forma, estaremos contribuindo com a evangelização e a participação do povo em nossas liturgias.

 

DIA 16 - TERÇA-FEIRA

Dia de Santa Edwiges

 

 

 

Dia 20 - Sábado

Missa e Benção das Imagens e Escapulários

Escala de Missas e Bênçãoss dia 20

 

Dia 21 - Domingo

Encerramento da Festa

Escala de Missas e Bênçãoss dia 21

 

Obs.:

  •  Às 12h - Almoço Festivo dos Paroquianos.
  • Responsável pelo Andor: Grupo da 3ª Idade.
  • Responsável pela Procissão: Ministros da Eucaristia, Aloysio, Angelim e RCC.
  • Percorrendo as ruas: Fonseca Teles, Mineira, Do Parque, Euclides da Cunha, São Cristóvão, Fonseca Teles, retorno ao Santuário.
  • Às 18h30 - Missa de Encerramento - Seguida de Procissão Luminosa.
  • Ministério de Música: Angelim e Wallace.

 

COMENTARISTAS

            Responsabilidade: Betinha e Margareth.

            O comentário nas Missas é parte integrante da Liturgia.  O comentarista é aquele que tem a missão de auxiliar a assembleia na oração e na participação do Mistério Eucarístico, não sendo um narrador, mas sim um instrumento de ligação entre o Presidente e o povo.

            O comentário ajuda a compreender o que está se celebrando e auxilia nas invocações das orações eucarísticas.

  1. Compete aos Comentaristas:

1.1.  Mostrar alegria ao acolher a assembleia e sempre com palavras como: irmãos e irmãs.

1.2.  Se dirigir a assembleia sempre com palavras de acolhimento como: irmãos e irmãs.

1.3. Motivar de forma breve e de acordo com a liturgia do dia. Não pedir que os fiéis levantem para a aclamação do Evangelho, não fazer comentários antes e depois da comunhão.

1.4.  Evitar dar bronca nos romeiros e evitar palavras como: todos juntos, sentados, em pé...

1.5.  Manter uma postura adequada na estante do comentarista.

1.6.  Empostar bem a voz e sempre próximo ao microfone.

1.7. Começar com a leitura das intenções da Missa 5 (cinco) minutos antes do início da Celebração.

1.8.  Ser pontual com o horário de chegada e com o início de cada Missa.

1.9.  Fazer leitura prévia dos textos antes do início da Missa.

1.10. Chegar com 30 (trinta) minutos de antecedência para oração pessoal, ver se tudo está devidamente organizado, quem será o Presidente da Celebração, rever Leitores e Equipes de música.

1.11. Roupas adequadas a ocasião (vestes litúrgicas), as mulheres devidamente trajadas   com saias pretas assim como os homens de calças pretas.

1.12. Pedimos a gentileza do comentarista não cantar ao microfone.

1.13. Evitar fazer do comentário inicial um sermão.

1.14. Não se esqueça de colocar as intenções da Santa Missa em cima do altar ou entregar ao cerimoniário, logo no início da Celebração.

1.15. Estar atento para qualquer intervenção ou solicitação que o celebrante venha fazer ou pedir.

1.16. Procurar saber o nome do celebrante e a função que exerce para anunciá-lo na procissão de entrada.

1.17. Escolher leitores que tenham postura e que saibam ler corretamente, para que a leitura seja bem proclamada. Neste dia, é obrigatório o uso da veste litúrgica.

1.18. Ler com antecedência a lista com as intenções para evitar erros.

1.19. Liturgia da palavra, ofertório.

1.20. Ler as intenções oficiais.

 

1.10. Chegar com 30 (trinta) minutos de antecedência para oração pessoal, ver se tudo está devidamente organizado, quem será o Presidente da Celebração, rever Leitores e Equipes de música.

1.11. Roupas adequadas a ocasião (vestes litúrgicas), as mulheres devidamente trajadas   com saias pretas assim como os homens de calças pretas.

1.12. Pedimos a gentileza do comentarista não cantar ao microfone.

1.13. Evitar fazer do comentário inicial um sermão.

1.14. Não se esqueça de colocar as intenções da Santa Missa em cima do altar ou entregar ao cerimoniário, logo no início da Celebração.

1.15. Estar atento para qualquer intervenção ou solicitação que o celebrante venha fazer ou pedir.

1.16. Procurar saber o nome do celebrante e a função que exerce para anunciá-lo na procissão de entrada.

1.17. Escolher leitores que tenham postura e que saibam ler corretamente, para que a leitura seja bem proclamada. Neste dia, é obrigatório o uso da veste litúrgica.

1.18. Ler com antecedência a lista com as intenções para evitar erros.

1.19. Liturgia da palavra, ofertório.

1.20. Ler as intenções oficiais.

 

LEITORES

Responsabilidade: Betinha e Margareth.

            Os Leitores na Santa Missa constituem um ministério antigo, que remonta a época dos apóstolos.  O Leitor não proclama para si, mas proclama a Palavra de Deus para a Assembleia celebrante.

            Quando o Leitor fala é Cristo que fala pela sua boca.  Por isso, o Leitor tem a missão de emprestar sua voz, seus dons a Cristo, para que Ele, através do leitor, dirija a sua Igreja palavras de conforto e consolação.

 

  1. Compete à Equipe:                                         

2.1. Procurar saber quais as leituras a serem proclamadas durante a semana e treinar em casa.

2.2. Solicitar ajuda do sacerdote quanto a dúvidas de pronúncia de certas palavras e nomes que existem na Sagrada Escritura.

2.3. Proclamar de forma solene e direta a leitura, evitando erros e interrupções desnecessárias.

2.4.  Chegar com antecedência e treinar a leitura no ambão, usando o Lecionário.

2.5.  Rezar antes das Celebrações.

2.6.  Estar atento sobre o que diz a Liturgia do dia ou ofício próprio da Missa.

  2.7. Estar atento à postura de ler, lembrando que toda a assembleia estará prestando atenção à sua leitura.

2.8.  Fazer vênia ao passar diante do altar.

2.9.  Colocar as vestes litúrgicas.

2.10. Lidar com os microfones com naturalidade.

      Obs.: Conferir com os Leitores onde se encontra a leitura a ser proclamada. Evite levar o folheto para a mesa da palavra. As leituras devem ser proclamadas do Livro Sagrado.

 

SONORIZAÇÃO DA IGREJA

Responsabilidade: Rose, Angelim e Padre José Ailton.

          A parte que compete ao som da Igreja é de suma importância, pois uma sonorização adequada facilita a comunicação entre o Presidente da Celebração e a Assembleia, tornando a participação de todos mais ativa.

 

  1. Compete à Equipe:

3.1.  Organizar com antecedência os instrumentos e o Data Show.

3.2.  Estar atento aos ruídos dos instrumentos para evitá-los.

3.3.  Instruir os músicos para que o som dos instrumentos não possa estar superior às vozes dos cantores.

3.4.  Cuidar da sintonização do som, sobretudo dos microfones.

3.5.  Fazer os devidos testes dos instrumentos e microfones, antes da Missa.

3.6. Estar sempre próximo aos instrumentos durante as cerimônias, para ajudar, se necessário, em casos de possíveis falhas.

3.7.  Estar atento a instrumentos emprestados.

3.8. Verificar cabos e fios. Nestes dias especificamente, todo material necessário à manutenção do som e do projetor, não devem sair da Sacristia.

3.9.  Ter cuidado com o volume dos microfones e seu uso em geral. Guardar os instrumentos e toda a aparelhagem de som, de forma organizada.

3.10. Não retirar nada da sala de som sem antes comunicar ao responsável.

3.11. Pedir a devida autorização para utilização da mesa de som cujo acesso será restrito.

 

MÚSICA

Responsabilidade: Cantores, Padre José Ailton e Valéria.

            A música é parte integrante da Liturgia.  Em nossa vida a música é algo que nos toca e nos aproxima do transcendente, ora nos faz pensar no sentido profundo da vida, ora nos alegra o coração, trazendo pensamentos e situações que já tenhamos vivido.

            A música faz parte da vida humana. Dentro da ação litúrgica a música é algo que envolve toda a Celebração, nos aproxima de nós mesmos, de Deus e dos irmãos.

 

  1. Compete à Equipe:

4.1. Animar as Celebrações levando a assembleia a uma participação ativa por meio dos cantos.

4.2. Estar atento à liturgia de cada dia para escolha correta dos cantos; estar em perfeita sintonia com os Comentaristas, Leitores e o Presidente de cada Celebração.

4.3. Cuidar para não se deixar levar pela tentação e vaidade de aparecer ou de fazer show perante a assembleia.

4.4. Selecionar os cantos, que nestes dias, deverão ser fáceis e conhecidos por todos.

4.5. Invocar o Espírito Santo, considerando que a disponibilidade e responsabilidade são    preciosos dons a serem cultivados pelos músicos e cantores.

4.6. Quando estiverem motivando os cantos, devem passar segurança e estar sempre atentos.

4.7.  Unir e apoiar o canto com os instrumentos bem afinados e não cobrir as vozes.

4.8.  Ser intercessor da assembleia diante de Deus.

4.9. No dia 16 de outubro, os cantos deverão ser breves para respeitar o tempo de 45 (quarenta e cinco) minutos por Celebração.

4.10. Chegar 30 (trinta) minutos antes do início da Celebração para passar o som e os instrumentos.

4.11. Procurar não mexer ou mudar as distribuições dos instrumentos, previamente montados, sem a permissão do responsável pelo som.

4.12. Conversar, antes da missa, com o Presidente da Celebração acolhendo as suas orientações.

4.13.  Ajudar a guardar os instrumentos e manter cordas de violão sobressalentes.

4.14.  Não deixar de cantar, ao final de cada celebração, o hino de Santa Edwiges.

4.15.  Data show, ensaio, refrão, tom de voz.

Obs.:

  1. A preparação dos equipamentos de som, é de responsabilidade da Equipe de sonorização.
  2. O canto das ofertas, deve-se prolongar até o final da coleta.

 

ACOLHIDA

         Responsabilidade:  Jovita e Josete.  

            Acolher sempre será um ato de amor, pois Deus nos acolhe em seu amor.  Quando acolhemos o outro, somos sinais do amor acolhedor de Deus que ama a todos, sem ver a quem.

            O Santuário é local por excelência de acolhida.  Todos os romeiros e devotos desejam, querem e esperam, ser bem acolhidos e atendidos conforme suas necessidades.

            É responsabilidade da Equipe de acolhida desempenhar esta missão de fazer com que todos os irmãos que aqui acorrerem durante os festejos se sintam em casa. Casa de Deus é casa de irmãos.

  1. Compete à Equipe:

5.1. Acolher com carinho as pessoas, sobretudo idosos e grávidas, procurando acomodá-los nos bancos.

5.2. Favorecer as pessoas com informações corretas.

5.3. Distribuir folhetos de músicas e os folhetos da Missa (durante a novena).

5.4. Receber as flores que os fiéis trouxerem e entregá-las ao responsável que ficará em frente a imagem da Santa. (Somente durante os dias da novena).

5.5. Manter o espírito de oração e participação dos integrantes da Equipe na Missa.

5.6. Receber e guardar os objetos esquecidos na Igreja. Após a Missa, não procurados os mesmos, encaminhá-los para a Secretaria.

5.7. Ter responsabilidade com os horários da celebração, chegando sempre 30 (trinta) minutos antes para acolher os romeiros.

5.8. Estar atento às necessidades e intervenção que o padre venha a fazer para o êxito do evento.

5.9.  Procurar responder as informações e dúvidas, não sabendo encaminhar à Secretaria.

5.10. Estar atento a qualquer movimentação estranha ou indivíduos mal-intencionados, sendo necessário, acionar a Segurança.

5.11. Estipular escalas para que em todas as Missas tenham sempre representantes da pastoral.

 

COLETAS

             Responsabilidade: Regina e Betinha.

            Toda obra de evangelização, social ou comunitária gera custos. Por isso, o momento da coleta na celebração da Santa Missa é o momento onde o cristão oferece a Deus um pouco de tudo o que Deus lhe deu, em sinal de gratidão, amor e reconhecimento da soberania divina em sua vida.

            Também é o momento onde a comunidade auxilia com a manutenção da Igreja e com suas obras sociais. A partir da coleta, construímos mais obras sociais e conseguimos alcançar nosso objetivo maior, que é a Evangelização e a caridade ao próximo.

  1. Compete aos Coordenadores:

6.1. Reunir a Equipe para orientar, distribuir tarefas e escalas de trabalho.

6.2. Conscientizar a Equipe da responsabilidade e pontualidade de sua missão.

6.3. No dia da festa serão realizadas 15 (quinze) Missas. Portanto, é importante que sejam formadas Equipes para cada uma.

6.4. As Equipes deverão ser compostas de pessoas ágeis, atentas, responsáveis, idôneas e   discretas.

6.5. Providenciar crachá para identificar cada membro da Equipe.

6.6. Ao final de cada Missa recolher todas as ofertas e entregar a uma pessoa indicada pelo Reitor.

 

  1. Compete à Equipe:

7.1.  Estar identificada pelo crachá e com a camisa da festa.

7.2. Quando começar o momento da consagração, as pessoas que estiverem fazendo a    coleta, deverão já ter terminado e se retirado da Igreja com as cestas de recolhimento, devido à grande importância e respeito que merece o momento.

7.3. A orientação acima não impede que a cesta da coleta passe devagar, dando a oportunidade de cada fiel depositar a sua oferta.

7.4.  Não fazer qualquer tipo de tumulto na sacristia.

7.5.  Ser discreta e responsável, evitando paradas para conversar com o povo.

7.6. Ter total cuidado com pessoas mal-intencionadas, em casos suspeitos avisar a sua coordenação, que acionará a Segurança.

 7.7. Jamais receber qualquer valor em dinheiro ou cheque fora da Missa. Neste caso, encaminhar para o Setor de Doações.

 7.8. Qualquer dúvida que possa surgir, comunicar rapidamente ao Coordenador.

 7.9. Não fazer qualquer comentário a respeito de valores das ofertas dos fiéis.

 Obs.: Encontrar pessoas novas para colaborar neste dia. Colocar em prática as virtudes cristãs.

 

INTERCESSÃO

                     Responsabilidade: Laurentina, Elza e Inácio.

          Nada na Igreja se faz sem oração e a presença amorosa do Espírito Santo.  A Igreja, através do Memorial da Paixão, Morte e Ressurreição do Senhor é a grande intercessora da humanidade junto a Deus Pai, através do Corpo e Sangue de Jesus.

            Por este motivo devemos sempre nos lembrar de interceder uns pelos outros.  São diversas as Equipes que trabalham para o bom êxito desta festa, mas é preciso que homens e mulheres estejam “aos pés do Senhor” para interceder por todos.

            Invocando a oração do terço mariano, nós nos unimos a Maria Santíssima, a Onipotência Suplicante, para interceder por todos: devotos, peregrinos, equipes de trabalho, sacerdotes que por aqui passarão para nos ajudar a rezar e viver melhor a nossa Fé.

            A oração também é um trabalho que consiste em perseverança, amor e fortalecimento para aguentar a batalha espiritual.

  1. Compete à Equipe:

8.1. Escolher e organizar a Equipe de intercessores.

8.2.Reunir-se semanalmente para interceder pela realização dos festejos, pelos colaboradores, paroquianos e romeiros, pelos nossos diáconos, pelo nosso Reitor, pela Congregação Estigmatina, por todo o clero, pelo bispo, e pelo Papa.

8.3. Durante a novena preparatória e no dia de Santa Edwiges, reunir-se diariamente.

8.4. Oração do terço todos os dias antes das Missas.

8.5.Observar a pontualidade no início e fim da recitação, terminando, no máximo, 15 (quinze) minutos antes da Missa.

8.6. Iniciar o terço às 17 horas e 40 minutos.

8.7. Organizar uma capela especial para intercessão durante o dia 16/10.

8.8. Preparar um ambiente adequado para a Adoração ao Santíssimo Sacramento.

8.9. Evitar conversas durante a oração do terço e, nos momentos de Adoração.

8.10.Estar sempre em oração e em dia com a participação na Missa e nos sacramentos, principalmente a confissão.  

 

MARCAÇÃO DE MISSAS

          Responsabilidade: Cristina e Equipe.

              Durante a novena e no dia da festa, a marcação de Missas será realizada numa sala devidamente preparada para receber os devotos e fiéis que desejam celebrar Missas na intenção de seus familiares.

              Marcar Missa é oferecer o mérito do Sacrifício de Cristo a algum ente querido já falecido ou pedir a Deus pela saúde ou ainda agradecer pelas graças recebidas.

             As intenções anotadas são devidamente encaminhadas para o comentarista que depois de lê-las no início da Celebração a colocará sobre o altar, onde permanecerá durante toda a Celebração, sendo ao final, descartadas.

      Conforme o livro: 2 Mc 12, 44 – “Pois, se ele não julgasse que os mortos ressuscitariam, teria sido vão e supérfluo rezar por eles.”

  1. Compete à Equipe:

9.1. Escolher pessoas que tenham letra legível.

9.2. Receber a taxa de contribuição.

9.3. Ficar atentos ao troco, quando for necessário.

9.4. Preparar o envelope com o dinheiro em caixa para que o Tesoureiro o recolha.

9.5. Fechar o envelope, assiná-lo juntamente com o tesoureiro, que passará a cada meia     hora.

9.6. Encaminhar as intenções das Missas 7 (sete) minutos antes do seu início.

9.7. Estar informados das atividades paroquiais e das festividades para orientar os romeiros.

9.8. Enviar o romeiro para a Equipe de Acolhimento em caso de dúvida.

9.9. Saber sobre a vida de Santa Edwiges para informar aos que perguntarem.

9.10. Preparar uma escala para que o setor tenha pessoas para marcar as Missas.

9.11. Evitar marcar Missas por telefone.

Obs.: 1- Durante o período da novena e no dia da festa, o telefone do Santuário passa a funcionar na sala de Marcação de Missas.

2- Será entregue à Equipe, folhetos com os horários normais de nossas missas para que sejam entregues caso haja solicitação.

 

DOAÇÕES

             Responsabilidade: Helenice e Fernanda.

            Doar é um ato de Fé.  A Sagrada Escritura nos diz que “Deus ama quem dá com alegria”.

            Durante a novena e no dia 16 de outubro, é comum que os fiéis queiram realizar doações a Santa Edwiges, agradecendo por alguma graça alcançada.  Esses devotos, ao realizarem tal gesto, se sentem confortados na Fé e com a certeza que tiveram suas promessas atendidas.

            Essas doações ajudam na manutenção do Santuário, e de suas obras sociais.  Temos que lembrar que a doação é diferente da oferta e do dízimo.  Doação é ato de Fé, mediante a uma promessa feita por algum devoto, na qual o mesmo já tem em mente o valor a ser doado conforme prometido à Santa Edwiges.

  1. Compete à Equipe:

10.1.  Receber com alegria e discrição as doações e os doadores que procurarem o setor.       Alguns doadores não querem divulgar suas doações.

10.2.  Dar recibos assinados e carimbados pelo Santuário, caso seja solicitado.

10.3.  Ter, em seu domínio, estampas da Santa Edwiges, medalhas, imagens pequenas para presentear aos doadores.

10.4.  Preparar o envelope com doações (dinheiro ou cheque) para que o Tesoureiro passe recolhendo.  Quando houver recibos, incluí-los no envelope.

10.5.  Lembrar de lacrar os envelopes, assiná-los juntamente com o tesoureiro, que passará a cada meia hora.

10.6.  Não comentar, sob-hipótese nenhuma, sobre os valores doados, sejam paroquianos ou a romeiros.

10.7. Respeitar a Fé de cada pessoa que estiver doando, atendendo com respeito e educação.

10.8.  Dependendo do valor a ser doado, solicitar a presença do Pároco ou do Tesoureiro.

10.9.  Ficar atento no sentido de pessoas estranhas estarem observando o que você está recebendo de doação.

 

MESC'S

         Responsabilidade: Regininha.

            A partir do Concilio Vaticano II, os Leigos puderam ter maior participação na Santa Missa, auxiliando o sacerdote na distribuição das Sagradas Espécies. O Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão tem um mandato dado pela Igreja, mediante o bispo local, para exercer na comunidade de Fé, a função de ajudar o padre na Celebração, sempre obedecendo às normas da Arquidiocese do Rio de Janeiro e do Santuário Santa Edwiges.

Obs.: Os MESC’s trabalharão com escalas pré-estabelecidas pela Coordenação do grupo. Esta tabela define as posições de ajuda no altar e nos pontos pré-definido de distribuição da Eucaristia.

  1. Compete à Equipe:

11.1. Observar a escala que lhe será entregue antecipadamente.

11.2. Manter espírito de alegria, irmandade, respeito e acolhimento uns com os outros.

11.3. Zelar pelas alfaias e objetos litúrgicos da sacristia, mantendo tudo organizado e limpo.

11.4. Ter cuidado com a chave do sacrário, que deve ser colocada no local definido.

11.5. Preparar a quantidade necessária de hóstias para serem consagradas na primeira Missa.

11.6. Todos devem estar paramentados com vestes litúrgicas limpas e passadas, aparência bem cuidada e mãos higienizadas.

11.7. Manter o espírito de oração antes, durante e depois da Missa.

11.8. Não perfumar ou passar cremes de qualquer tipo nas mãos.

11.9. Os veteranos devem acolher bem os novos ministros, principalmente ministros de outras paróquias que desejam servir. Para estes, será obrigatória a apresentação da carteira de MESC atualizada e a veste litúrgica oficial da Arquidiocese.

11.10. Trocar o cálice, o corporal, o sanguíneo e o manutérgio a cada Celebração.

11.11. Colocar no Altar, no período de festas, um segundo corporal.

11.12. Atender as recomendações extraordinárias da Coordenadora.

11.13. Não se ausentar da sacristia no seu período de serviço.

11.14. Estar atento ao local onde foi escalado para distribuir a Eucaristia.

11.15. Ser ágil para não atrapalhar a Celebração.

11.16. Recorrer ao Ministro mais próximo, se precisar de auxílio no setor.

11.17. Retornar imediatamente ao Altar, após a distribuição da Eucaristia.

11.18. Evitar fofocas e conversas inoportunas dentro da Sacristia.

11.19. Receber e orientar os sacerdotes convidados que presidirão à Missa.

Obs.: A colaboração mútua entre os membros da Equipe evita sobrecarga para alguns. Na ausência de Ministros (as) escalados para o dia, os que estão na Celebração, devem colaborar. A Coordenadora deve providenciar duas ou três vestes para todos de emergência.

 

ORNAMENTAÇÃO DA IGREJA E DE SANTA EDWIGES

          Responsabilidade: Rose, Leila Maria, Graça e Gina.

          Ornamentar significa embelezar, deixar algo belo.  O ato de embelezar o Altar onde acontece o grande mistério da Fé, é uma forma de prestar a Deus nosso culto de adoração e de reconhecimento de sua soberania.

          Quem não gosta de contemplar um arranjo de flores, que com sua diversidade de cores e perfumes, transmite beleza? Ornamentar a imagem de Santa Edwiges é mostrar a ela o nosso carinho, devoção e respeito. A doação de flores para Santa Edwiges é uma demonstração de Fé. Por mais singela que seja, uma pequena rosa traz em si as alegrias e esperanças daqueles que a ofertam.

  1. Compete à Equipe:

12.1.  Motivar a doação de flores, arranjos naturais e materiais necessários à decoração.

12.2.  Elaborar os arranjos florais em sintonia com a liturgia da festa.

12.3.  Cuidar para que não haja sobrecarga no ambiente, principalmente no Altar.

12.4. Manter a decoração de forma a favorecer um ambiente orante para os romeiros e   devotos.

12.5.  Substituir os arranjos a cada 3 dias durante a novena.

12.6.  Não usar flores artificiais no Altar.

12.7. Não deixar vasos muito tempo sem trocar a água para não favorecer a criação de    mosquitos e nem de mau cheiro.

12.8.  Por mais singela e humilde que seja a doação, recebê-la com alegria, demonstrando carinho pelo devoto que a oferece.

12.9. Chegar, diariamente com 30 (trinta) minutos de antecedência para verificar se a decoração está em ordem e providenciar o que falta.

12.10.Guardar todo o material e objetos usados no processo de confecção dos arranjos, evitando largá-los em lugares indevidos.

12.11.Verificar se todos os vasos são iguais, evitando discordância entre tamanhos e modelos.

12.12. Estar sempre em espírito de oração e serviço durante a execução dos trabalhos.

 

ROSAS DE SANTA EDWIGES

               Responsabilidade: José Almeida e Equipe.

  1. Compete à Equipe das Rosas:

 13.1.  Receber com carinho as doações de flores trazidas pelos devotos e romeiros.

 13.2.  Providenciar a limpeza das flores, principalmente das rosas.

 13.3.  Distribuir com carinho, as flores aos devotos e romeiros de Santa Edwiges.

 13.4. Tratar com respeito todas as pessoas que se aproximam da imagem. São muitos os romeiros que por medo de ficarem sem sua rosa acabam alvoroçando o ambiente.

 13.5.  Manter limpo o local de distribuição das flores.

 13.6.  Estar sempre atento com vasos para colocação das flores.

 13.7. Evitar deixar de colocar as rosas aos pés da Santa, isso demonstra para o fiel, descompromisso com a sua doação e ofende a sua Fé.

 13.8. Preparar para que os vasos estejam sempre com água para que as flores não murchem antes do tempo, devido ao calor.

 13.9. Estar sempre em espírito de oração e serviço durante a limpeza e a distribuição das flores.

  13.10. Permanecer com vitral da Santa sempre fechado.

Obs.: A Equipe providencie rosas para os fiéis no término da procissão de encerramento do dia 21 – as rosas serão doadas na Igreja.

 

COMUNICAÇÃO

         Responsabilidade: Padre José Ailton, Angelim, Coordenadores e Valéria.

         O bom êxito de um evento depende, em parte, de uma boa comunicação. Comunicar é a alma de qualquer evento.  A comunicação é algo essencial tanto para a Igreja como para a sociedade pois sem ela é mais difícil atingir nossos objetivos. 

            Na Igreja é preciso também ter boa comunicação entre nós, para que o diálogo possa gerar crescimento e junto aos meios de comunicação modernos, para que o “Evangelho seja pronunciado por cima de todos os telhados”.

  1. Compete à Equipe:

14.1. Se informar sobre todos os eventos referentes aos festejos de Santa Edwiges.

14.2. Enviar os ofícios aos órgãos competentes solicitando autorização para a realização da      Festa de nossa Padroeira (dia, hora e locais envolvidos).

14.3. Enviar os ofícios aos órgãos competentes solicitando autorização para a realização da procissão. Informar o roteiro a ser seguido.

14.4. Entrar em contato com os meios de comunicação da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro para divulgar os festejos.

14.5. Divulgar a festa pelos jornais, rádios, e meios midiáticos.

14.6. Entrar em contato com a Rede Vida e a Web Redentor; enviar notícias para o portal do site da Arquidiocese, do Santuário e outros.

14.7. Convocar os meios jornalísticos: Band, SBT, Rede Globo.

14.8. Preparar ambiente para entrevistas e locais para a recepção de repórteres.

14.9. Agendamento de entrevistas com jornais e rádios.

14.10.Divulgar os festejos através da distribuição de cartazes, folders e faixas alusivas, inclusive colocação destes cartazes em ônibus.

Obs.: Para a realização da festa e da procissão é necessário enviar solicitação de autorização à Prefeitura do Rio de Janeiro, 17ª Delegacia de Polícia, 4º Batalhão da Polícia Militar e Guarda Municipal do Rio de Janeiro. 

 

DIMENSÃO SOCIAL

 Festa Social

Dias: 07, 08, 09, 10, 11, 13 e 14 de outubro de 2018 - confraternização após a Celebração no Hall da Igreja.

Dia: 12 - Almoço Familiar de Nossa Sra. Aparecida e Apresentação Cultural, às 12h.

 

Escala do Almoço 01 dias 7 a 14

 

RESPONSÁVEIS DO ALMOÇO – DIA 12 DE OUTUBRO

Escala de Limpeza dia 12

 

  1. COMPETE À EQUIPE:

15.1. Iniciar os trabalhos todos nos dias (07, 08, 09, 10, 11, 12, 13, 14 e 15) a partir das 18h00, para organizar tudo o que for necessário para o bom funcionamento dos serviços.

15.2. Escolher e manter sua Equipe de serviço.

15.3. O grupo deve colaborar pedindo doações.

15.4. Conservar o local limpo e organizado.

15.5. Estar atento ao sabor e variedades de comidas.

15.6. Rezar antes e depois de cada dia trabalhado.

  15.7. Diante de algum por menor, conversar com o Pe. José Ailton, responsável pela Festa 2018.

 

 

 

LANCHONETE SABOR DIVINO

PRAÇA DE ALIMENTAÇÃO - HALL

 

Responsável: Fernanda Leiras.

Sempre é bom estar entre amigos e irmãos da Comunidade.  A Igreja é ambiente de oração, casa de Deus, casa de irmãos.  Em nosso Santuário temos diversos locais que possibilitam a confraternização e amizade. E um deles, é a nossa lanchonete Sabor Divino, que está pronta a atender os romeiros que acorrem ao nosso Santuário.

  1. Compete à Equipe:

16.1. Comprar bebidas, salgados e afins o suficiente para o período de festejos.

16.2. Montar a Equipe de atendentes em número suficiente, especialmente para o dia 16 de    outubro.

16.3. Estar atento quanto à conferência do estoque de bebidas e, se houver, controle de produtos em consignação.

16.4. Estar atentos quanto à quantidade de materiais descartáveis (copos, guardanapos...) para que não faltem durante o evento.

16.5. Fazer acertos financeiros diariamente.

16.6. No dia 16 (dezesseis), o Tesoureiro passará a cada 30 (trinta) minutos recolhendo o dinheiro que deverá estar envelopado e assinado pelo Coordenador da área.

16.7. Manter o local higienizado, ordenado e acolhedor.

 

 

RESTAURANTE E COZINHA – DIAS: 16 E 21

          Responsável:  Lourdes e Equipe.

         Como diz o livro do Eclesiastes: “abaixo do céu há um tempo para tudo”. Chegou o tempo de saborear a riqueza da culinária do Santuário Santa Edwiges. Nosso restaurante está sempre pronto a atender aos romeiros que vem de longe para prestar sua homenagem a nossa Padroeira e que procuram também um local para se alimentar e descansar junto com seus familiares.

  1. Compete à Equipe:

17.1. Providenciar o almoço que será servido durante o dia da festa, divulgando previamente o seu cardápio.

17.2.  Confeccionar um cardápio leve e saudável que possa representar o paladar da grande maioria de devotos e romeiros.

17.3. Providenciar mesas, cadeiras e toalhas suficientes.

17.4. Comprar bebidas, salgados e afins suficientes para a festa.

17.5. Montar a Equipe de atendentes em número suficientes, especialmente para o dia 16 de outubro.

17.6. Estar atento quanto à conferência do estoque e de materiais alugados ou emprestados.

17.7. Fazer o acerto financeiro diariamente.

17.8. Manter os locais higienizados, ordenados e acolhedores.

17.9. Estar atento ao sabor e a validade dos alimentos.

17.10. Servir a todos com alegria e paciência.

17.11. Almoço do dia 16 – Lourdes e Equipe.

17.12. Almoço do dia 21- Lourdes, Fernanda, Márcia e Angelim

Obs.:

  1. Lanchonete após o almoço.
  2. Preparar lanches como: cachorro-quente, caldos, salgados variados, sucos para serem vendidos na parte da tarde em razão do grande número de fiéis deste dia. Após cada Celebração, será comunicado quanto aos lanches no salão paroquial.

 

LOJA 01 / 02 – ARTIGOS RELIGIOSOS

 

Responsável: L01 - Leila Maria e L02 - Jeane e Lourdes.

Adquirir objetos para devoção é um costume antigo do povo fiel. Quem não gosta de receber uma lembrança de alguém que esteve em um Santuário, Igreja ou a imagem de seu santo de devoção?

Os objetos religiosos são, acima de tudo, sacramentais da Igreja e nos auxilia na vivência de nosso batismo e nos ajuda a viver melhor a graça de Deus.  Cada santinho, medalha ou terço que o fiel adquirir é para ele sinal da presença de Deus e ao mesmo tempo gratidão e lembrança para aquele ente querido que ele traz no coração.

  1. Compete às Equipes:

18.1. Montagem e arrumação das lojinhas.

18.2. Tornar o ambiente acolhedor, agradável, atraente e bem ornamentado.

18.3. Demonstrar alegria no atendimento falando dos objetos que estão à venda, despertando o interesse dos romeiros e devotos.

18.4. Estimular os romeiros a usar os objetos de sua devoção como demonstração e expressão de sua Fé.

18.5.  Deixar os objetos à vista e artisticamente expostos.

18.6.  Repor os objetos quando estiverem quase acabando.

18.7.  Uma única pessoa deve trabalhar no caixa durante todo o período da festa, devendo providenciar troco.

18.8.  Providenciar calculadoras, suporte de moedas, tesoura.

18.9. Todas as lojinhas devem conter os artigos das demais. Caso falte algum, deverá ser providenciado junto à pessoa indicada para fazer esta distribuição.

18.10. Os caixas de todas as lojas serão definidos pelo Reitor do Santuário. 

18.11.Organizar o dinheiro em envelopes para que o Tesoureiro recolha a cada 30 (trinta) minutos.

18.12.Todas as vezes que o envelope de dinheiro for recolhido, deverá ser registrado no caixa de cada loja, pelo Coordenador da Equipe tomando a assinatura do Tesoureiro.

 

LIMPEZA

 

Responsável:  Rafaela e Equipe.

A limpeza é importante. Quem não gosta de estar em um ambiente limpo e organizado?  Isso mostra nosso zelo e carinho pela casa de Deus.  Esta equipe é como Maria, no silêncio e no cuidado tem a missão de cuidar, organizar limpar, sem querer se amostrar.  Não é para homens que fazemos, mas para Deus.

 

  1. Compete à Equipe:

19.1. Fazer a relação de materiais de limpeza que serão necessários.

19.2. Providenciar material necessário a limpeza de cada ambiente: internos e externos (igreja, hall, salão de festas, banheiros do andar da catequese, pátio, escadas e outras dependências).

19.3. Organizar um espaço físico para armazenar todo o material de limpeza.

19.4. Determinar uma pessoa que ficará responsável pela distribuição dos materiais para as demais pessoas envolvidas na Equipe. Montar uma escala de serviço para os Membros da Equipe evitando sobrecargas.

19.5. Formar uma Equipe com pessoas disponíveis.

Sugestões de distribuição de tarefas:

  1. Colocar 2 (duas) pessoas atentas na igreja para recolher lixos nos bancos e no chão, flores caídas e folhas deixando o ambiente limpo, acolhedor e seguro. Pétalas de flores podem facilitar que as pessoas escorreguem.
  2. Escalar 1 (uma) pessoa fixa para os banheiros de cada andar.
  3. Manter 4 (quatro) pessoas no hall de entrada atendendo também a frente da Igreja.
  4. Colocar 2 (duas) pessoas para limpeza da escada externa.
  5. Manter 4 (quatro) pessoas atentas no salão de festas.

 

 

TESOURARIA

 

Responsável: Ângelo, Elizabeth e Fernanda Leiras.

Trabalhar com questões financeiras exige total responsabilidade.  Sua missão é administrar toda a renda que entrará em nossa festa, apresentando e prestando conta ao Reitor e sua Equipe de coordenação de todas as entradas e saídas.  

O Tesoureiro escolhido pelo próprio Reitor tem a missão de trabalhar junto dele.

Para as demais pessoas que trabalham, tem a missão de animar e arrecadar a renda diária de cada ponto de venda, sempre de forma discreta.

 

  1. Compete ao Tesoureiro:

20.1. Passar em cada ponto de venda recebendo o envelope com o numerário que foi aferido até o momento que deve estar preparado, lacrado, rubricado com a assinatura do Caixa.

20.2. O Tesoureiro e o Caixa devem assinar um recibo no valor contido no envelope.

20.3. O Tesoureiro passará de caixa em caixa a cada 30 (trinta) minutos.

20.4. A entrega do envelope deverá ser discreta e rápida a fim de evitar oportunistas.

20.5. É expressamente proibido comentar com outros o conteúdo de cada envelope, evitando fofocas e conversas destorcidas da realidade.

20.6. Ser íntegro e idôneo.

 Obs.: Qualquer dúvida que possa ocorrer, procurar imediatamente o Reitor.

 

 

SEGURANÇA

 

Responsável: Marcão, Manoel e Equipe.

Em nosso Santuário, neste período de festas, são necessárias pessoas que trabalhem como segurança e vigias. Pessoas atentas e preparadas que garantam a segurança e o bom andamento da festa, pois estaremos recebendo diversos peregrinos, vindos de muitos lugares. Neste sentido, a segurança não é algo privilegiado, mas uma necessidade acima de tudo.  Devemos estar atentos, nos ensina Jesus, para que possamos perceber a ação de Deus em nossas vidas e na vida dos outros.

  1. Compete à Equipe:

21.1. Colaborar com a manutenção da ordem e zelo do Santuário.

21.2. Dar informações corretas, se não souber, encaminhar para a Equipe de Acolhimento.

21.3. Ser educado e amigável com romeiros e paroquianos.

21.4. Ser firme em suas orientações, porém, educadamente.

21.5. Manter a rua com o trânsito liberado.

21.6. Deixar um guarda em cada ponto estratégico; colocar um segurança na Rua Mineira, dando informações corretas.

21.7. Organizar filas para a entrada e saída dos romeiros na Igreja.

21.8. Formar Equipes de pessoas de confiança, bem orientadas e atentas ao serviço.

21.9. Impedir acúmulo de pessoas nas entradas do Santuário.

21.10. Evitar a entrada de pedintes.

21.11. Manter um segurança no portão central da garagem.

21.12. Fazer tudo de forma discreta, sem gerar tumulto.

21.13. Qualquer eventualidade encaminhar para os policiais disponíveis.

21.14. Ficar atento a pessoas estranhas.

21.15. Não passar informações sobre os padres e onde moram.

Obs.: Envolver os jovens neste dia. Contatar Pe. Jailson, André e Luciana.

     

 

ORIENTAÇÕES A TODAS AS EQUIPES

 

  1. Missão das Equipes:

22.1.  Mostrar gentileza e alegria durante o período dos festejos.

22.2. Evitar as conversas paralelas durante as Missas, nos corredores e no seu local de atuação.

22.3.  Estar em sintonia com as outras Equipes, colaborando com elas.

22.4. Fazer tudo por amor e não por vanglória ou disputa, evitando o espírito de competição.

22.5.  Ter paciência com os devotos e romeiros que estarão presentes no Santuário.

22.6.  Atender bem a todos, sem discriminações.

22.7.  Evitar intrigas e qualquer forma de desunião.

22.8. Manter o espírito de oração, rezando sempre antes, durante e depois das Celebrações e ao iniciar mais um dia de trabalho.

22.9.  Manifestar um espírito de acolhida fraterna aos romeiros e devotos.

22.10. Criar clima de oração, família, serviço e partilha com as demais Equipes.

22.11. Ser pontual.

22.12. Estar em seus postos com antecedência mínima de 30 (trinta) minutos.

22.13. Se possível, oferecer jejum e penitência pedindo por todos os que vierem e principalmente pelos padres e diáconos que estarão presentes no dia 16 de outubro e nas novenas.

22.14. Manter o espaço limpo e organizado.

 

 

CONCLUSÃO

 

A festa de Santa Edwiges, organizada na sua dimensão religiosa, social e externa, usará todo o espaço interno e externo para este momento de Evangelização, Fé e Devoção.

O ato de devotar é sagrado para o povo. Quando veneramos algum (a) santo (a), estamos na verdade honrando a Deus que “realizou maravilhas” na vida daquele (a) bem-aventurado (a).

Não tenhamos medo e nem dúvida a respeito destes heróis da Fé Cristã, que a Igreja nos apresenta como modelos de segmento, pois, eles também eram pecadores, mas confiando no amor e na misericórdia de Deus, se entregaram pela causa do reino e do próximo. Somos chamados a seguir seus exemplos e imitar suas virtudes.

Todas as pastorais e movimentos, neste período, tem suas atividades suspensas para que possam participar de forma ativa da vida do Santuário, colaborando com a comissão central na parte religiosa, social e externa da festa, cuja renda é para a manutenção do Santuário e seu trabalho evangelizador e social.

É importante que todos nós nos coloquemos a serviço de Cristo e de sua Igreja, que celebra a memória desta Santa tão querida pelo povo, pois é um momento único e forte de evangelização e oração pela paz.  Estaremos recebendo centenas de pessoas que acorrem à Igreja neste período. É um momento forte de ação de graças e de compromisso, onde estaremos dando testemunho que somos Igreja viva e atuante.

Nós somos a Igreja, “as pedras vivas do edifício de Cristo”, devemos ser para os (as) irmãos (as) que nos procuram sinal desta Igreja, que é sempre nova e sempre viva. A Igreja não é o padre ou sua hierarquia, mas sim cada batizado que assume o compromisso de fazer a diferença num mundo cada vez mais secularizado e individualista.

Quando criticamos a Igreja, estamos criticando a nós mesmos, pois, se a comunidade não é mais santa como deveria ser, é porque eu não estou assumindo meu compromisso com ela. Somos a comunidade que queremos ser.

Muitos devotos, se forem bem acolhidos, com certeza voltarão e indicarão a outros o caminho do Santuário.  Neste sentido acolher bem é uma forma de evangelização.

Todos devem ter a programação da vida do Santuário, o que acontece diariamente, para informar a todos que solicitarem (folder). A unidade e o diálogo entre todos os participantes devem ser o nosso distintivo, se quisermos realmente fazer a diferença (folder).

O Senhor conta com cada um de nós. Coloquemos nossos dons e talentos a serviço “daqueles que nos amou primeiro”, para que a partir de nós, Ele seja amado e adorado.

Nesta vida não teremos a compreensão de como os nossos atos, palavras e ações colaboram para a salvação de alguém, na eternidade nos será revelado quantas pessoas se salvaram. Assim seja.  

Festa de Santa Edwiges – 2018 

    Direção do Santuário Santa Edwiges. 

 

 

 

COREOGRAFIA PARA ACOLHER A IMAGEM DA

SANTA EDWIGES - AÇÃO DE GRAÇAS

 

 Orientações:

 As crianças, em torno de 5 a 7, devem coreografar a entrada da Santa Edwiges até o Altar.

  • O hino é o tradicional - “Vós, Santa Edwiges...”
  • Dias: 7, 11 e 21 - A Chris Aguiar coordena as coreografias.
  • Dias: 8, 9, 10, 12, 13 e 14 - Angelim Baptista coordena as coreografias.
  • Dia 12 – Almoço Familiar.

Obs.: Neste dia, a Chris, faz várias apresentações a partir das 12h e a Angelim, faz um ou dois números neste dia.

 

 

 

ENCAMINHAMENTOS

DIMENSÃO RELIGIOSA E LITÚRGICA

 

 

  • Benção no Hall da Igreja: providenciar água, 6 borrifadores, mesa redonda - Valéria.
  • Coleta: preparar cestos e cofres.
  • Coreografias: organizar as crianças e adolescentes para as danças no dia da novena, destacando o tema e o símbolo conforme a programação que está no folder.
  • Dias: 07, 11 e 21 – Chris Aguiar.
  • Dias: 8, 9, 10, 12, 13, 14 e 15 – Angelim Baptista.

4- Ministros da Eucaristia: todos deverão participar paramentados no dia 07 (primeiro dia), no dia 12 (Festa de Nossa Senhora Aparecida) e no dia 21 (encerramento).

5- Ornamentação da Igreja: Rose, Leila, Graça e Gina.

5.1- Cores: amarelo, azul e vermelho.

6- Procissão Luminosa - dia 21 – Responsáveis pela Segurança: Mário, Manoel e Marcão.

7- Procissão/Sequencia: Cruz Processional, imagem de Santa Edwiges, Acólitos, Ministros, Diáconos e Religiosos.

7.1- Todos com a vela acesa.

8- Procissão/Animação: Angelim, Angélica e Wallace.

8.1- Sugestões  de  Músicas - Hino de Santa Edwiges, Povo de Deus, Maria de Nazaré, Me chamaste, Pelas estradas da Vida entre outros.

9- Dízimo: Érico e Pastoral - Deixar nas mesas e balcão do dízimo folders com reflexões bíblicas a respeito do dízimo. (esse material se encontra na secretaria paroquial).

10- Intercessão: Laurentina, Elza e Inácio – Programar um momento de Adoração ao Santíssimo.

11- Som da Igreja: Rose, Angelim e Vinícius (técnico de som) – Regular e preparar o que será usado no som durante a festa (ver a pessoa).

12- Acolhida: Jovita - Preparar camisetas e orientar o grupo a respeito da acolhida durante a festa.

13- Os (as) cantores (as) - devem preparar os slides para as celebrações.

14- Comentaristas, Leitores e Cantores: preparar com antecedência as ações litúrgicas a serem desempenhadas.

15- Diácono Aloysio - preparar o Missal da Festa. Na missa de abertura e do Bispo: usar incenso.

 

DIMENSÃO SOCIAL E EXTERNA:

1- Restaurante dia 16: além do almoço oferecer na parte da tarde lanches variados para os peregrinos. No dia 21, almoço festivo (Lourdes e Equipe).

2- Bazar de roupas: preparar o espaço para o período da Festa.

3- Loja 01 e 02 de Artigos Religiosos: zelar para que a loja funcione nos horários de costume.

4- Equipe de Conservação: Ver com antecedência o material que será usado durante o período da Festa. (Rafaela e Fernanda).

5- Banheiros químicos: Mário Levar ofícios quando?

6- Segurança: Mário e Marcão – Providenciar ofícios para os órgãos competentes, quando?

Fernanda e Mário:

7- Festa Social dia 12: salão paroquial – Almoço familiar de Nossa Senhora Aparecida.

7.1- Cozinha: Márcia, Vera e Equipe.

7.2- Bar e bebida: Lourdes e Equipe.

7.3- Ornamentação para o almoço do dia 12: Pastoral do Dízimo.

7.4- Garçons: Angelim e Fernanda.

7.5- Limpeza: Rafaela e Fernanda.

7.6- Doações: Fernanda, Pe. José Ailton, Graça, Márcia, Vera, Manoel e Pastorais.

8- Montagem da Estrutura no hall para a confraternização no período da festa - Adriano, Fernanda e Manoel.

9- Divulgação: Angelim e todos os Coordenadores da Festa.

10- Doces e Tortas na festa durante os dias 07 e 14 e nos dias da novena no hall da Igreja: Fernanda, Graça, Jacqueline e Equipe.

11- Ambulatório Médico: Dra. Lila e Equipe.

12- Dia 14 - Benção dos veículos (conforme programação do folder).

13- Ofícios para os órgãos competentes: Mário, Valéria, Fernanda e Pe. José Ailton.

14- No dia 14, após a missa das 10h30, em frente ao Santuário - benção dos veículos. Rose e Manoel – Providenciar baldes com água e esponjas.

15-  Espalhar cartazes e folders na cidade e no comércio – Colaboradores.

16- É preciso que vocês, Coordenadores de setores da festa, façam reuniões com os colaboradores a fim, de planejar as ações a serem executadas no decorrer da festa e novena - evitando atropelos, aborrecimentos e improvisos. “Onde reina o amor, Deus aí está.” (Texto Bíblico).

Obs.: Os Coordenadores devem ler toda apostila, a fim de ter uma visão do conjunto da festa e estejam atentos as orientações à sua missão.

 

 

PROGRAMAÇÃO RELIGIOSA DA FESTA - FOLDER

1º DIA - 07/10 - DOMINGO - JOVENS

07h - Santa Missa. Sílvia.

08h30 - Santa Missa. Jorge Felippe.

10h30 - Missa e Novena. Victor e Tainara.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Pastoral dos Jovens.

Ministério de Música: Angelim e Equipe.

Benção dos Escapulários.

 

2º DIA - 08/10 - SEGUNDA-FEIRA - EDUCADORES E APOSENTADOS

07h30 - Missa e Novena. Maria Martins e Laurentina.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Legião de Maria e Leigos Estigmatinos.

Ministério de Música: Emilson e Angélica.

Benção da Bíblia.

 

3º DIA - 09/10 - TERÇA-FEIRA - CRIANÇAS

07h30 - Missa e Novena. Marina e Equipe.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Catequese, Creches Pe. Gino e Sallus Pozzi.

Ministério de Música: Sílvia e Equipe.

Benção dos Anjos.

 

 

4º DIA - 10/10 - QUARTA-FEIRA - FAMÍLIA

07h30 - Missa e Novena. Maria Martins e Laurentina.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Pastoral Familiar.

Ministério de Música: Emilson e Angélica.

Benção das Alianças.

 

 

5º DIA - 11/10 - QUINTA-FEIRA - DESEMPREGADOS

 08h - Missa e Novena.  Marina e Equipe.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: RCC e Pastoral da Terceira Idade.

Ministério de Música: Angelim e Equipe.

Benção das Imagens e Carteiras de Trabalho.

 

6º DIA - 12/10 - SEXTA-FEIRA - PROFISSIONAIS DA SAÚDE

07h30 - Missa e Novena. Maria Martins e Laurentina.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Pastoral do Dízimo e Apostolado da Oração.

Ministério de Música: Jorge Felippe.

Benção das Velas.

 

7º DIA - 13/10 - SÁBADO - LOJISTAS

07h30 - Missa e Novena. Marina e Equipe.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Ministros da Eucaristia.

Ministério de Música: Marta e Equipe.

Benção das Chaves.

 

 8º DIA - 14/10 - DOMINGO - DEVOTOS E BENFEITORES

07h - Santa Missa. Alice e Maria do Céu.

08h30 - Santa Missa. Alice e Equipe.

10h30 - Missa e Novena. Rodrigo e Marco.

Após a Missa, benção dos motoristas e

veículos na porta da Igreja.

18h30 - Missa e Novena

Liturgia: Crisma e Acólitos.

Ministério de Música: Angelim e Equipe.

Benção: 1 kg de alimento não perecível.

 

 9º DIA - 15/10 - SEGUNDA-FEIRA - VOLUNTÁRIOS

07h30 - Missa e Novena. Maria Martins e Laurentina.

18h30 - Missa e Novena.

Liturgia: Pastoral Social, da Saúde e do Batismo.

Ministério de Música: Marina e Alice.

Benção dos Terços e Crucifixos.

 

 

DIA 16/10 - TERÇA-FEIRA

FESTA DA PADROEIRA SANTA EDWIGES

 

DIA - 21/10 - DOMINGO - ENCERRAMENTO

07h - Santa Missa.  Alice e Maria do Céu.

08h30 - Santa Missa. Jorge Felippe.

10h30 - Missa e Novena. Emilson e Angélica.

12h - Almoço - Confraternização.

18h30 - Santa Missa.

Ministério de Música: Angelim e Wallace.

19h30 - Procissão Luminosa e entrega das

rosas de Santa Edwiges na Igreja.

Responsável pela Procissão: RCC

PERCORRENDO AS RUAS: Fonseca Teles, Mineira, do Parque

Euclides da Cunha, São Cristóvão, Fonseca Teles, retorno ao Santuário.

 

 

 

 

ORAÇÃO PARA O BOM ÊXITO DA FESTA DE

SANTA EDWIGES – 2018

Deus de amor e de bondade, vós nos concedeis a cada ano a alegria de celebrar a festa e novena de Santa Edwiges: Cristã, Esposa, Mãe, Duquesa, Santa, Padroeira dos pobres e endividados, vos pedimos, por sua intercessão, alcancemos, a graça, de sermos pessoas solidárias, servidoras e confiantes, socorrendo as necessidades dos Irmãos. Por nosso Senhor Jesus Cristo na Unidade do Espírito Santo. Amém!

 

 

 

 

 

Please publish modules in offcanvas position.